• (21) 99643-1889

LEIS E ARTIGOS NA CORRETAGEM DE IMÓVEIS.




Leis que um corretor de imóveis precisa saber: parte I

 

Muitos corretores de imóveis possuem dúvidas a respeito dos seus direitos e deveres. Existem leis específicas para o setor, lembrando que os cursos preparatórios devem ter uma matéria destinada ao estudo do direito e da legislação. De qualquer forma, vale revisar alguns artigos do Código Civil.


Art. 722. Pelo Contrato de corretagem, uma pessoa, não ligada a outra em virtude de mandato, de prestação de serviços ou por qualquer relação de dependência, obriga-se a obter para a segunda um ou mais negócios, conforme as instruções recebidas.

Em um português claro, esse artigo explica a função do trabalho do corretor. O profissional compromete-se a obter negócios para o cliente, conforme instruções passadas com antecedência, mediante o pagamento de comissão. Isso tudo, desde que não haja contrato de mandato*.

Art. 723. O corretor é obrigado a executar a mediação com a diligência e prudência que o negócio requer, prestando ao cliente, espontaneamente, todas as informações sobre o andamento dos negócios, deve, ainda, sob pena de responder por perdas e danos, prestar ao cliente todos os esclarecimentos que estiverem ao seu alcance a cerca da segurança ou risco do negócio, das alterações de valores e do mais que possa influir nos resultados da incumbência.

Ou seja, se o corretor vender um imóvel e não avisar anteriormente sobre qualquer possível problema, ele pode arcar com as conseqüências na Justiça. Por exemplo, o profissional vende um imóvel, e uma semana depois uma enchente alaga o local. Se for comprovado que o corretor omitiu a informação para facilitar a venda, ele será penalizado.

Art. 724. A remuneração do corretor, se não estiver fixada em lei, nem ajustada entre as partes, será arbitrada segundo a natureza do negócio e os usos locais.

O corretor fechou um valor da comissão com o proprietário, porém, o acordo foi apenas de boca, no contrato não consta nada sobre o pagamento. Nesses casos, se for terminar no tribunal, a Justiça vai seguir o valor padrão do mercado, que atualmente gira em torno de 6% do valor do imóvel.

Art. 725. A remuneração é devida ao corretor uma vez que tenha conseguido o resultado previsto no contrato de mediação, ou ainda que este não se efetive em virtude de arrependimento das partes.
Na prática, o comprador fechou o negócio com o proprietário, mas uma semana depois se arrependeu por qualquer motivo. Nesses casos, o corretor imobiliário tem o direito de receber a comissão.

* Contrato de mandato: quando uma pessoa recebe poderes de outra para praticar atos jurídicos ou administrar interesses.

William Cruz ? Colunista do PortaisImobiliários.com.br uma rede de portais de imóveis, como o portal para alugar imóveis em Curitiba | iCuritiba.com, presente em mais 240 cidades do Brasil.

 


Leis que um corretor de imóveis precisa saber
: parte II

 


Muitos corretores de imóveis possuem dúvidas a respeito dos seus direitos e deveres. A seguir segue a segunda parte da revisão dos artigos do Código Civil, mais importantes para os corretores.

Art.726. Iniciando e concluído o negócio diretamente entre as partes, nenhuma remuneração será devida ao corretor, mas se, por escrito, for ajustada a corretagem com exclusividade, terá o corretor o direito à remuneração integral, ainda que realizado o negócio sem a sua mediação, salvo se comprovada sua inércia ou ociosidade.

Se no contrato de corretagem existir um termo de exclusividade, o corretor tem direito a comissão, mesmo que cliente e proprietário tenham se conhecido sem a intermediação do profissional. O proprietário só se livra do pagamento, caso consiga provar que o corretor não se dedicou ao trabalho.

Art. 727. Se, por não haver prazo determinado, o dono do negócio, dispensar o corretor, e o negócio, se realizar posteriormente, como fruto da sua mediação, a corretagem lhe será devida; igual solução se adotará se o negócio se realizar após a decorrência do prazo contratual, mas por efeito dos trabalhos do corretor.

Digamos que o corretor trabalhou meses, falou com muitas pessoas, porém, ninguém fechou o negócio. Encerrado o prazo de corretagem, o profissional foi trabalhar em outra atividade, mas um dos seus possíveis clientes resolveu voltar e fechar o negócio diretamente com o proprietário. Nesses casos, como a negociação aconteceu graças ao trabalho do profissional, ele tem o direito de receber a comissão.

Art. 728. Se o negócio se concluir com a intermediação de mais de um corretor, a remuneração será paga a todos em partes iguais, salvo ajuste contrário.

Um corretor conheceu o cliente, outro apresentou o imóvel e um terceiro fechou a venda, quem recebe a comissão? Todos, conforme a lei, o dinheiro deve ser divido em montantes iguais, desde que os valores não tenham sido pré-estipulados no contrato.

Art. 729. Os preceitos sobre corretagem constantes deste Código não excluem a aplicação de outras normas da legislação especial.

O último artigo lembra a responsabilidade do Corretor de Imóveis não apenas perante o Código Civil, mas também suas obrigações com o Conselho Federal e com os Conselhos Regionais. Em outras palavras, os corretores devem agir de acordo com as leis expostas nesse artigo, somadas as obrigações impostas pelos conselhos do setor.

William Cruz ? Colunista do PortaisImobiliários.com.br uma rede de portais de imóveis, como o portal para alugar imóveis em Curitiba | iCuritiba.com, presente em mais 240 cidades do Brasil.


É ilegal exclusividade de corretora para anunciar:

No meio de uma sempre discussão, o Tribunal Regional Federal da 5ª Região manteve resolução sobre exclusividade.

Leiam na Integra:

O proprietário é quem deve escolher quantas imobiliárias farão anúncio de seu imóvel, e não o Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci). Esse foi o entendimento do Tribunal Regional Federal da 5ª Região ao negar o pedido do conselho para manter resoluções que determinavam exclusividade de contratação de corretoras.

No recurso, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis da Paraíba (Creci-PB) tentava manter a aplicação da cláusula do conselho federal que impõe a contratação de apenas uma corretora. O Ministério Público Federal da 5ª Região sustentou que as Resoluções 458/95 e 492/96, ambas do Cofeci, violam o princípio da legalidade.

Para o MPF-5, na hora de elaborar essas resoluções, o conselho excedeu os limites do poder regulatório que lhe foi conferido pela Lei 6.530/78, porque criou dispositivos que esta legislação não permitia, criando "uma verdadeira restrição ao exercício profissional da corretagem imobiliária, sem qualquer alicerce jurídico".

E ainda ressalta que a cláusula de exclusividade - quando imposta pelo corretor - é abusiva, e atenta contra a livre concorrência. O próprio Código Civil, em seu artigo 726, prevê a exclusividade da corretagem como uma alternativa - não uma obrigação - a ser acertada entre o corretor e quem o contrata para intermediar o negócio  imobiliário.

O fim das resoluções deve ser aplicado após o trânsito em julgado da Ação Civil Pública 98.00.01444-6, proposta pelo MPF, por meio da Procuradoria da República na Paraíba, contra o Creci-PB e o Cofeci.

Processo: 20.040.500.003.338-4
AC 335.065-PB - Fonte: Cofeci

Por isso, devemos nos profissionalizar para fazermos frente a concorrência. Sucesso!!!


Isenção de imposto sobre venda de imóveis é aprovada:


Quem vende um imóvel e utiliza o dinheiro para a compra de outro no prazo de um ano estará isento de imposto de renda incidente sobre eventuais ganhos obtidos nas transações, o chamado ganho de capital ou lucro imobiliário. Essa é a essência do relatório do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) ao Projeto de Lei do Senado (PLS nº 21/2009), aprovado por unanimidade e em decisão terminativa nesta terça-feira (08/05) pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. O projeto segue agora para a Câmara dos Deputados.

Ao duplicar o prazo atual de 180 dias para isenção do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), o senador Eduardo Suplicy explicou que os valores elevados dos imóveis residenciais e o número de pessoas envolvidas tornam a transação, em muitos casos, altamente complexa, não se resolvendo rapidamente. Aumentando o prazo de 180 dias para 365 dias, o mérito do projeto é garantir prazo necessário para que o vendedor do imóvel compre outro nesse período e fique isento do pagamento do imposto de renda sobre os valores.

Um exemplo comum ocorre quando uma pessoa compra um imóvel e depois que os filhos crescem decide vendê-lo. Pagou-se pela casa R$ 30 mil a vinte anos e vendeu por R$ 100 mil, o imposto apenas incidirá sobre a diferença, o ganho de capital de R$ 70 mil, desde que essa pessoa não adquira outro imóvel no período de 365 dias.

?Esse lucro auferido na venda não será tributado se a pessoa física adquirir outra casa em 365 dias e atende uma reivindicação antiga?, afirmou Suplicy.

Confira o relatório do senador Eduardo Suplicy

Fonte: PT no Senado


Como um corretor de imóveis pode atrair clientes:

 

A maioria dos corretores de imóveis entra nesse mercado pensando nos clientes que pode ter e quando faz entre cinco a seis vendas ao mês, já se considera o profissional mais lucrativo do mundo! Entretanto, você sabia que pode otimizar este valor em quase o dobro ou até mesmo o triplo? Não é um sonho, são apenas dicas de pequenas atitudes para você conseguir ser um corretor de sucesso, sem gastar nada mais que a sua inteligência.

O bacana de ser um corretor de imóveis é que todo mundo é um cliente em potencial e muitos sabem disso. Porém, muitos corretores de imóveis podem até ter ideia do número de clientes em potencial a seu redor, mas não sabe como abordá-los e muito menos, como chegar a ter esses clientes em sua carta de vendas e ser bem sucedido. Esperar um milagre ou sair distribuindo panfletos por aí? Não é bem assim. O primeiro passo para o sucesso é fazer com que todos saibam que você é um corretor de imóveis.


Cuidando da imagem de corretor para atrair clientes:

Todo profissional tem uma imagem a zelar. Você jamais vai ver um bancário de bermuda e sandália; faz parte do seu modelo de gestão estar bem vestido, pois segundo estudos, passamos confiança em assuntos relacionados a finanças vestindo roupa social. E o que isso tem a ver com um corretor de imóveis? Tudo! A vestimenta diz tudo sobre você, então faça jus a sua profissão e vista-se adequadamente.

De certa forma, um corretor de imóveis não é um simples vendedor, pois seu produto exige um alto investimento financeiro e você poderá ter que enfrentar uma conversa com pessoas de níveis sociais até bem mais altos que o seu. Por isso, procure sempre se vestir de forma social, seja homem ou mulher, com trajes elegantes para uma visita em um imóvel ou mesmo nos fins de semana se o assunto for trabalho. A roupa também é importante para transparecer seriedade, use e abuse disso.


Fale a sua profissão para as pessoas:


Não seja o cara chato que em toda festa diz em qual área atua, mesmo sem alguém
perguntas. Mas tente comentar sobre o seu ramo de negócio e converse como vão as coisas. Uma conversa informal para um corretor de imóveis pode gerar uma venda, nunca se sabe.

Muita gente deixa de vender seus produtos a amigos por simplesmente não comentar onde trabalham. Como as pessoas vão saber que precisam de você se não sabem o que você faz? Apenas tenha bastante cuidado em como irá abordar o assunto, mas não perca a oportunidade de deixar o seu cartão ou seu número de celular sempre quando for possível.


Assine os seus e-mails de forma profissional:

Você imagina o quanto o e-mail pode te ajudar a angariar clientes? Se você já possui um e-mail, apenas assine cada mensagem de forma automática. Exemplo: Luciano Santos, Corretor de Imóveis ? SP, Telefone. Simples, não é mesmo? Você pode não dizer a seus amigos e parentes sobre a sua profissão, mas seu e-mail irá fazer o seu contato e cada vez que uma mensagem sua for encaminhada, seu telefone e e-mail irão junto com a sua profissão. Prático, não?

Porém, é importante ressaltar alguns pontos sobre o endereço de e-mail: jamais escolha um nome de usuário engraçado ou com muitas letras e números; mantenha um endereço profissional com nome e sobrenome e se possível, tenha um e-mail corporativo, apenas voltado para a corretagem de imóveis. Uma dica para um endereço de e-mail comercial é prezar pela fácil memorização. O cliente pode esquecer o seu telefone, mas caso o e-mail seja fácil, jamais irá esquecê-lo e já poderá enviar uma mensagem caso tenha interesse em seus serviços.

 


Crie um site ou blog e ajude o seu negócio a ter mais clientes:


Todo mundo em algum momento da vida já fez uma busca virtual procurando por um serviço ou profissional e se seu site estiver online e prontinho, vai ser ótimo para os negócios! Não precisa ser um site para vendas de imóveis online, apenas uma página virtual para divulgar os seus serviços e contatos e assim informar a um futuro cliente que você existe.

Se não tiver dinheiro para criar uma página virtual, uma dica pode ser criar um blog gratuito, como wordpress ou blogger. Escolha um layout simples e coloque seus dados importantes. Pode-se ainda vincular notícias sobre o mercado de imóveis divulgadas em mídia local ou em mídia nacional. Isso irá movimentar o site sempre. Caso possa, coloque também ofertas de casas e apartamentos para alugar ou vender, mas para isso, melhor ter um site bem elaborado, com fotos e informações da edificação do imóvel.


Crie parcerias e aumente a sua carta de clientes:

Se não pode com a concorrência, junte-se a elas. Como? Fazendo parcerias. Depois de criar e cativar uma carta de clientes e ter contatos solidificados, comece a criar uma rede de relacionamentos com profissionais de áreas ligadas a sua área de atuação, parcerias por indicação. Para tal, ofereça estímulos como uma comissão por cada indicação bem sucedida, assim todo mundo vai ter um pouquinho de vontade de te indicar.

Alguns corretores fazem parcerias com percentual. A cada compra indicada por alguém, cerca de 0,5% a 1% do valor será do indicador. Parece pouco? Se seu lucro será de 5%, ofereça, no máximo, 1% a quem te indicar. Se sua venda for de R$ 100 mil por um imóvel, seu lucro será de R$ 5 mil e o seu indicador irá levar R$ 1 mil. Isso com certeza será um estímulo para ele, não tenha dúvidas.

Um corretor de imóveis precisa ser inteligente para fazer parcerias e diminuir o seu lucro por venda, pode ser uma boa pedida. Se não achar justo doar um percentual seu, pense da seguinte forma: você está diminuindo o seu lucro, mas sem seu parceiro não estaria levando nada. E esteja sempre aberto a novas ideias, procurando aprender sempre com suas novas parcerias, pegando opiniões de pessoas experientes.

A concorrência pode ser uma boa pedida para te dar ideias de como montar parcerias. Veja como os outros estão fazendo, escute e aprimore a técnica, caso possa. Quem faz melhor sempre sai na frente.

O que achou das dicas de como um corretor de imóveis pode atrair clientes? Compartilhe com seus Amigos

Fonte: Novo Negócio

 

Utilização indevida de estagiários em lugar de profissionais será punida pelo CRECI:

 

Pará / Amapá:


O CRECI da 12ª. Região está distribuindo comunicado às empresas e profissionais da corretagem de imóveis da região, alertando para a irregularidade, conforme denúncias ao órgão, na utilização de estagiários em lugar de profissionais nas funções de corretagem, que será punida nos ermos da legislação específica. O comunicado esclarece e recomenda:

1- Que evite utilizar em seus estabelecimentos eu stands de venda, corretores não de Regularidade perante do CRECI, sob pena de incorrer nas penalidades previstas na Legislação específica.

2- DO ESTAGIÁRIO:

OS agentes imobiliários, pessoas físicas e jurídicas, devem observar a Resolução ?COFECI n? 1.127/2009, (Resolução anexa), que regula o estagio de estudantes do Curso de Técnico em Transações Imobiliárias - T.T.I., cabendo destacar:

a) É vedado ao estagiário executar transações imobiliárias devendo apenas: "OBSERVAR E ACOMPANHAR" a prática dos atos profissionais conduzidos pelo corretor responsável, como forma de complementação da formação acadêmica-profissional, integrante do respectivo currículo.

b) O Agente Imobiliário que utilizar o estagiário em desacordo com as normas, fica sujeito a autuação disciplinar, além de enquadramento pela Justiça do Trabalho por desvio de finalidade e utilização irregular de mão de obra;

c) O estagiário que atuar em desacordo com as normas terá o seu registro "CANCELADO" e será autuado por EXERCÍCIO ILEGAL DA PROFISSÃO com todas as conseqüências legais previstas.

d) O concedente do estagio que atuar em desacordo com as normas, fica sujeito a autuação e a sanção disciplinar com base na legislação vigente.

Fonte: CRECI 12ª. Região

 

Como anunciar seus imóveis e gerar mais resultados:

 

A falta de tempo é uma das principais reclamações das pessoas, ?não tenho tempo pra isso, ou pra aquilo? são frases costumeiras no cotidiano. Quando o assunto é imóveis, a falta de tempo faz com que os clientes visitem cada vez menos as casas ou apartamentos de interesse. Os compradores não estão pesquisando menos, pelo contrário, pela internet é possível verificar a situação dos mais variados imóveis. Só depois dessa rigorosa seleção, o cliente visita o imóvel certo com uma probabilidade muito grande de compra.

Para que o imóvel tenha destaque nos portais imobiliários é preciso seguir algumas importantes recomendações, lembre-se, um bom anúncio é fundamental para o sucesso na venda. Adianta tentar vender a melhor casa do mundo, se ninguém sabe disso?


Imagem:

O visual é fundamental, a expressão ?uma imagem vale mais do que mil palavras? descreve tamanha importância. Não hesite, quanto mais fotos tiver o seu anúncio, mais o cliente conhecerá o local e as chances de compraaumentam. Cuidado com a qualidade das imagens, também tenha uma atenção com a imagem principal do anúncio, ela será a responsável em despertar o interesse do cliente.

Titulo:

Não esqueça, trata-se de uma propaganda e o título precisa chamar a atenção. Evidencie pontos positivos com por exemplo um desconto, uma promoção, isso ajuda a angariar cliques para o anúncio. Outra dica é a respeito dos detalhes, exagere mesmo, quanto mais detalhista você for, melhor. Seja honesto, não subestime ou superestime o imóvel.


Preço:

Não tem preço? Então é caro, esse é o pensamento de quem procura um imóvel na internet. Os leitores precisam saber quanto custa o produto pesquisado. Ninguém gosta de ligar pro corretor apenas para perguntar o preço do local, na maioria das vezes, os clientes nem pegam o telefone. Pontante, sem segredos, coloque o preço sem medo.


Endereço:

Soa estranho, mas muitas pessoas não colocam o endereço do imóvel nos anúncios. Os corretores acreditam que não existe essa necessidade, porém, o cliente deseja saber o local, para já ir pesquisando a vizinhança, dar uma passada na frente da casa, para só então marcar uma visita. Além disso, muitos portais imobiliários utilizam o Google Maps para localizar melhor os clientes.


Contato:

Por fim, não esqueça dos contatos nos anúncios. E-mail, telefones, página da internet, quanto mais mídias disponíveis, mais chances para os clientes se comunicarem. Se o cliente não conseguir falar contigo pelo telefone, ele terá o e-mail para  fazer o contato, ou vice-versa. O ideal é que você esteja atento e não perca o contato, como isso as vezes acontecesse com todo mundo, é importante deixar mais de uma opção.


William Cruz ? Atua no setor de comunicação da POW Internet, empresa responsável pelo www.PortaisImobiliarios.com.br  uma rede de portais de imóveis, como o portal de imóveis em Curitiba | Curitiba.com, presente em mais 230 cidades do Brasil.


Que fatores valorizam ou desvalorizam um imóvel ?


Os Arquitetos e Engenheiros certamente já se acostumaram a falar ou a escutar frases como ?olha, coloque isto porque vai valorizar o imóvel? ou, ao contrário, ?não faça isto pois desvaloriza seu imóvel?. Certamente que há fatores que valorizam ou desvalorizam um imóvel, mas uma receita que funciona em determinadas situações pode dar o resultado oposto em outras.

Os fatores que valorizam e desvalorizam um imóvel têm três fundamentos principais: custo, qualidade e utilidade. Não existe uma fórmula pronta para conjugar estes três fatores em fórmulas fixas, uma vez que a análise tem que ser feita não só pelos aspectos objetivos mas principalmente sob o ponto de vista social e econômico do público ao qual se destina cada imóvel.

O quesito localização tem sido tratado como primordial neste tipo de análise, pois serve para delimitar a região de interesse para aquisição do imóvel sendo fator determinante na escolha. Leva-se em conta a infra-estrutura da região, vizinhança, trânsito, vias de acesso, tendência de ocupação das áreas vizinhas, segurança e possibilidades de futuras reformas ou ampliações.

A análise da localização pode mudar o enfoque dentre as diferentes faixas de renda. Os menos providos de recursos buscam proximidade com hospitais e escolas públicas, além de facilidade de acesso ao transporte público. Já as camadas de renda mais alta procuram locais com menos violência e maior facilidade de acesso com automóvel particular.

Resolvidas estas questões básicas, começa-se então a analisar a questão do posicionamento do imóvel no local analisado. Começa-se então a pensar na possibilidade de ocorrerem invasões por desocupados ou movimentos sociais. Também é preciso verificar a questão de possíveis inundações, vizinhos na frente, fundos e na lateral, sem falar da altura, aeração, ventilação insolação, fatores de insalubridade e vista que se tem dos cômodos, se for uma área já construída.

Outras preocupações são a posição em relação ao sol nascente (para melhores condições de salubridade), a procura maior por apartamentos situados nos andares mais altos (pela vista), as lojas com frente para a via pública (pela movimentação) e os imóveis que possuem vista definitiva e atraente, como aqueles de frente para a praia ou praças arborizadas.

No que tange aos aspectos gerais do imóvel, a área é o fator determinante, cujo valor deverá ser sempre compatível com as necessidades do adquirente, devendo também ser considerada a divisão interna e adequação ao uso que se pretende dar ao prédio. Os materiais utilizados na estrutura devem ser avaliados quanto à sua durabilidade, facilidade de manutenção e de ampliacão futura. Os acabamentos devem ser duráveis, fáceis de limpar e de serem reparados. Um imóvel que utiliza uma cerâmica caríssima e feita sob encomenda certamente será mais caro de ser consertado do que um que utiliza pedras naturais encontráveis em qualquer loja especializada ou cerâmicas encontradas no comércio de azulejos antigos.

Fator imperativo de ser analisado é a facilidade de estacionamento. As vagas de garagem eram considerada dispensáveis em meados do século passado, mas hoje qualquer classe social precisa de espaços para deixar seus veículos, que se tornaram condição básica para um mínimo de conforto e condições de trabalho. Imóveis destinados às faixas de renda mais alta precisam de três ou mais vagas por unidade.


Os condomínios-clube:


Outro exemplo de fator a ser levado em conta refere-se à estrutura social e de lazer de um condomínio, que devem se adequar aos usos e necessidades dos usuários. É interessante possuir integração entre o salão de festas e a área de lazer, com espaços abertos que permitem maior versatilidade em sua utilização. Aliás, vêm se tornando comuns os chamados condominios-clube que contam com um setor completo de lazer, contendo não só os tradicionais piscinas e salão de jogos mas também sala de ginástica, espaço gourmet, churrasqueria, forno de pizza, salão de beleza, locadora de filmes, quitanda, mini-mercado, padaria e tudo o que as pessoas precisam em seu dia-a-dia.

Além destes fatores subjetivos (mas nem tanto) há outras questões intrínsecas que se referem aos aspectos construtivos. Estes exercem influência direta sobre o valor da edificação, com destaque para a depreciação física e funcional, devendo também ser objeto de análise o estado de conservação e existência de defeitos, condições das instalações elétrica, hidráulica e ar condicionada. Em tudo, deve-se avaliar a qualidade dos materiais e o emprego de novas tecnologias, não só no aspecto construtivo propriamente dito mas também na facilidade oferecida a instalação de novos sistemas como Internet, rede interna de computadores, redes sem fio (wireless) para notebook, salas de projeção, auditórios e circuito interno de TV

Evite personalizações:

Finalmente, uma observação de caráter geral, destinada aos proprietários que venham a fazer reformas em um imóvel. Deve-se a todo custo evitar alterações de cunho pessoal, que o personalizem. Ao contrário, deve-se realizar apenas aquelas que melhorem sua funcionalidade à luz das expectativas e demandas do mercado.

Só como exemplo, suponhamos um proprietário que é louco por cavalos e decora seu apartamento de cobertura como se ele estivesse pronto a receber meia dúzia de mangalargas. Existe uma grande probabilidade de que um possível novo proprietário não goste de conviver com portas ao estilo do velho-oeste, lavatórios que lembrem um cocho e lustres que mais parecem uma sela. A redecoração necessária significa custos e estes serão abatidos do valor inicial do imóvel. Assim, sempre que for reformar um imóvel pense em como aquelas alterações seriam recebidas por um corretor de imóveis e como elas serão percebidas por um possível comprador.

Por Arq. Iberê M. Campos 

Fonte: Forum da Construção


Corretor de Imóveis - Um profissional que vende sonhos e alavanca negócios:


Milhões de brasileiros sonham em ter a casa própria. Para ajudar a concretizar esse anseio, é necessário que o cliente tenha a ajuda de um especialista nesse tipo de negócio. É aí que entram em cena os corretores de imóveis.

Em geral formados em Administração, Contabilidade ou Economia, esses profissionais intermediam a compra e a venda de imóveis. Eles ajudam a alavancar a comercialização dos produtos da construção civil, concretizam o sonho de quem pretende adquirir o primeiro imóvel e alimentam a expectativa de lucro de quem investe nesse mercado.
Pessoas de outros cursos, como Direito, Comunicação Social, Engenharia e até donos de cartórios também se aventuram na corretagem. O mercado, aquecido, atrai a expectativa de vida melhor de muitos trabalhadores insatisfeitos em suas atividades. Mas, apesar da grande procura, faltam profissionais capacitados.

Existem, no País, 250 mil profissionais inscritos no Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci). Destes, 140 mil são atuantes, ou seja, vivem da profissão. Os demais trabalham esporadicamente, pois fazem trabalhos paralelos. Os autônomos movimentam 50% das vendas, tanto nos lançamentos como, principalmente, nos imóveis de terceiros.

Hermes Alcântara, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Distrito Federal (Creci-DF), aconselha os compradores a procurar um profissional responsável para ajudar na venda ou compra de imóvel. Ele admite que a profissão tornou-se atraente devido aos bons rendimentos que proporciona.

O dirigente conta que cada curso está formando atualmente cerca de 100 novos alunos. ?Um estagiário no setor de imobiliário ganha, numa venda, R$ 10 mil. Realmente, é uma profissão muito lucrativa?, declarou.

 

Um raio X dessa atividade atraente:

Ao todo, no DF, há 15.700 corretores inscritos no Creci, mas só nove mil estão no mercado. A tendência, nos próximos meses, é de que mais de mil novos formandos entrem na profissão.
Há os prós e contras na profissão. O salário é alto, mas a pessoa deve abrir mão até do lazer nos finais de semana. E encarar a concorrência de profissionais que sequer são registrados nos conselhos regionais, não agregam a ética nos negócios e, às vezes, transformam o sonho dos clientes em pesadelo.

?O comprador deve verificar se o profissional está cadastrado no órgão competente, se tem a carteira (do Creci ou do Cofeci) e pedir o número de registro profissional. Isso valida o corretor para futuras negociações. A identidade expedida pelos conselhos regionais tem a cor verde e a carteira profissional, também expedida pelo órgão, é vermelha?, recomenda o presidente do Creci.

Profissão em evidência:

Ronaldo Vieira, gerente da Cia Imobiliária, conta que ?os 40 funcionários são autônomos?, mas garante que ?a empresa oferece todo o apoio e cursos para melhorar a qualificação?. ?Hoje esta é uma profissão em evidência?, disse.

Airton Oliveira, autônomo, é um exemplo de quem trocou de atividade. Formado em Contabilidade, teve um escritório, mas preferiu mudar para um negócio mais rentável.

?Há 19 anos trabalho no ramo de vendas de imóveis. Não me arrependo de ter mudado de profissão. O bom desta área é que faço meu horário e a comissão fica só para mim. Hoje, com os lançamentos, torno-me praticamente dono dos estabelecimentos. Mas meu foco são os imóveis de terceiros?, declarou.

 

Imobiliárias devem oferecer boas condições de trabalho aos corretores:

Você  vai começar a carreira de Corretor de Imóveis, já fez os cursos paracorretores e se considera preparado para as vendas, mas e agora? Onde trabalhar? Geralmente, a maioria dos corretores novatos começam nos plantões de vendas. Nesses locais a briga entre os corretores é desleal, em outras palavras, os clientes são disputados palmo a palmo. Além disso, alguns profissionais são colocados para entregar panfletos, enquanto outros fazem as vendas. Não trabalhe para os outros, só entregue panfleto se o retorno vier para você.


Depois dessa chata experiência, o corretor se pergunta, mas qual é o local ideal para trabalhar? Lembre-se, ninguém sai vendendo assim da noite para o dia, assim como em qualquer profissão, o início tende a ser mais complicado. A persistência é a chave do sucesso. Se você acha que está sendo explorado, ou que as condições de trabalho não são adequadas, procure outra imobiliária. Antes de aceitar o trabalho, verifique se a empresa possui as mínimas condições.

 

Estrutura: O atendimento pode ser um diferencial. Verifique se a imobiliária possui uma sala de reunião e estacionamento. Para o cliente tomar uma decisão importante, ele precisa estar seguro quanto a segurança do seu carro e confortável em uma sala adequada. Além do cliente, o corretor também precisa estar bem, verifique as condições do seu espaço para trabalhar ? mesa, cadeira, computador, iluminação, entre outros.

Marketing: Quem não é visto não é conhecido. A Imobiliária deve possuir um site próprio e atuar ofensivamente nas redes sociais. E o portais imobiliários? Os imóveis estão sendo anunciados nesses locais? A internet é responsável por grande parte das negociações. Se a imobiliária não é ativa na rede, não perca tempo e vá em busca de outra. Ações sociais, doações, campanhas, patrocínio ao esporte, isso tudo também ajuda na criação de uma imagem positiva da empresa.

Colegas de trabalho: Quando trata-se de vendas, dificilmente os profissionais terão uma relação de amor, afinal, são concorrentes. Porém, o respeito é exigência mínima para qualquer atividade. Verifique como funciona o processo de seleção da imobiliária, o RH existe na prática? Quando pior for a seleção, piores serão os contratados e mais problemas você pode ter com os colegas. Avalie também o número de corretores atuando. Se poucos forem legalizados, isso mostra que o proprietário não está muito preocupado com a profissão em si, pois dá espaço para pessoas sem a devida capacitação. Fique atento, isso é um péssimo sinal.

Comissão: As imobiliárias recebem em média de 6% a 8% do valor total do imóvel. Desse dinheiro, os corretores geralmente recebem de 30% a 40%. Por exemplo, um imóvel vendido por R$ 100 mil, cerca de R$6 mil é destinado a imobiliária. Nesse contexto, pelo menos R$1,8 mil deve cair na conta do corretor. Receber menos do que isso é um incentivo para as imobiliárias pagarem cada vez menos.

Após verificar esses itens, faça uma avaliação sincero sobre o local onde você trabalha. Se estiver ruim, não tenha medo de sair. Você pode estar no emprego certo, mas na imobiliária errada.

William Cruz ? Atua no setor de comunição da POW Internet, empresa responsável pelo www.PortaisImobiliarios.com.br  uma rede de portais de imóveis, como o portal de compra de imóveis em Ponta Grossa | ImoveisPontaGrossa.com, presente em mais 200 cidades do Brasil.

Corretor de Imóveis - 11 Dicas de Marketing de baixo-custo:


Muitos amigos corretores de imóveis tem me perguntado como divulgar seus serviços e aumentar suas vendas, Encontrei algumas dicas de varias empresas que falam de ações de marketing de baixo-custo.

São dicas simples mas que podem ser adaptadas e usadas em muitas situações no mercado imobiliário.

1. Seja seu Próprio Garoto Propaganda. Apesar de ficar na região oeste de São Paulo, o ateliê de sapatos da empresária e designer Priscila Callegari atrai clientes do outro lado da cidade. O segredo? Ela circula por toda São Paulo usando suas próprias criações.

2. Divulgue as suas Conquistas. Todo prêmio ou reconhecimento recebido pela empresa deve ser alardeado. Se a divulgação for dirigida a um público selecionado, melhor ainda. ?Um restaurante que ganha um título em um concurso da região pode convidar um grupo de clientes assíduos para a degustação de um prato?, sugere Roberto Calderón, da ABCZ.

3. Invista nas Parcerias. O restaurante francês Chef Rouge tem duas unidades em São Paulo. Numa delas, há uma sala de eventos que acaba de ser reformada. Quem bancou o investimento foi a Moët & Chandon, marca de champanhe servida na casa. O espaço foi decorado com fotos de celebridades saboreando a bebida. ?Mais charmosa, a sala certamente atrairá mais clientes?, prevê a dona do restaurante, Vanessa Fiuza, acostumada a firmar parcerias com outras marcas para implementar ideias de marketing.

4. Facilita e Vida dos Clientes. Quanto mais serviços para agradar ao cliente, maiores as chances de fidelizá-lo. Há restaurantes que criam um espaço para a criançada brincar. Enquanto os pimpolhos se divertem com os monitores, os pais ficam mais tempo à mesa. E consomem mais.

5. Adicione Serviços. É possível adaptar para diferentes negócios uma tática adotada por salões de beleza: a organização de reuniões para ensinar as clientes a usar um novo creme ou maquiagem. Em geral, a ação tem apoio dos fabricantes dos produtos em questão.

6. Ouça os Clientes Antigos. Ao ouvir a opinião de quem já compra seus produtos e serviços, você obtém informações que ajudarão no aprimoramento do negócio e também mostra que está atento ao que o consumidor tem a dizer. Mas não se esqueça de mantê-lo informado sobre as sugestões implementadas.

7. Estimule o Boca-a-Boca. A maioria dos consumidores confia mais na recomendação de um conhecido do que em um anúncio. Oferecer serviços e produtos de qualidade a preços competitivos é indispensável para que a fama da sua empresa corra solta. Além disso, você pode dar descontos a clientes antigos que indicarem novos.

8. Dê Atenção ao Pós-Venda.O hábito de telefonar para o cliente perguntando se ele está satisfeito com o produto que comprou e se foi bem atendido ajuda a valorizar a imagem da empresa. Mas é fundamental estar preparado para tomar providências rápidas em caso de reclamação ou se for preciso trocar um produto.

9. Faça sua Campanha por E-mail. Para ser eficiente, uma campanha de e-mail marketing deve levar em conta o perfil do público-alvo e, com uso de muita criatividade, nunca abusar da paciência dos internautas para ler e-mails comerciais. ?Deve-se observar as regras de privacidade e de boas maneiras?, diz Walter Sabini, presidente da Virid Integridade Digital, empresa especializada no assunto.

10. Utilize as Redes Sociais. As comunidades, sites, blogs e fotologs permitem que as empresas interajam com os consumidores. Sem gastar um tostão, você pode saber quais dos seus produtos e serviços fazem mais sucesso e divulgá-los na rede. Lembre-se de que o Brasil tem a maior média de usuários da internet no mundo, com 59 milhões de pessoas conectadas. E muitas costumam espalhar pela rede a sua opinião sobre as marcas que lhes agradam ou decepcionam.

11. Ganhe Projeção na Mídia. Para ganhar respeito e visibilidade, você tem a opção de escrever artigos para publicações dirigidas ao seu público-alvo. Outra saída é oferecer-se como fonte para reportagens sobre o seu setor. Pode ser em jornais e revistas de bairro ou de associações de moradores.


A doação com usufruto é feita pelo proprietário do imóvel ainda em vida para garantir renda ou moradia a alguém, mas tendo a garantia que o beneficiado não poderá vender o bem ou expulsá-lo de lá. O usufrutuário detém, desde então, todos os direitos sobre o imóvel. Veja as dicas do advogado especialista em Direito Imobiliário, Hamilton Quirino, e saiba o que fazer ? ou não ? em caso de usufruto.


Como funciona o usufruto de imóveis:


Passo a Passo

1- É possível predeterminar um período de usufruto?

A reserva de usufruto pode ser feita em um período determinado. Quando este termina, a cláusula de usufruto perde a validade.


2- Como fazer o procedimento?

A doação com reserva de usufruto é feita no cartório. O usufruto pode ser instituído tamb